O olhar de Ronaldo Honorio
Sou som, grão de sonho. Sou ilusório vestígio do céu.
Capa Textos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato
Textos
Matriz de Subúrbio Azul



Os eucaliptos fazem sombra
No jardim silente em tom de cinza.
O ócio é meu ópio desde que os oceanos
Ilharam-nos em rochas frias.
É o poente de um fim,
Fim de semana tinto
Matriz de subúrbio azul.

Uma brisa plangente acaricia o deserto do quarto
Onde mergulho num lago frio
E sem som,
No sentimento mudo de um primata disfarçado e nu.
Conceda-me a eutanásia desta saudade
Antes que este sonho onde estou imerso
Acariciando teus cabelos termine.

É o poente de um fim,
Fim de semana tinto,
Matriz de subúrbio azul.



Direitos Reservados - Lei 9.610 de 19/02/1998
Ronaldo Honorio
Enviado por Ronaldo Honorio em 23/11/2012
Alterado em 23/11/2018
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários