O olhar de Ronaldo Honorio
Sou som, grão de sonho. Sou ilusório vestígio do céu.
Capa Textos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato
Textos
Tábula Rasa



Som
Fome
Sede
Cólica
Sono
Cores difusas
Todo o mistério ainda virgem
Ao devoto faminto
Estranho de sua própria misericórdia.

Dia
Noite
Frio
Calor
Amor
Anjo sôfrego
Vulnerável aos tropeços
Sobre a crosta túrgida na epiderme da alma.

Chamados diáfanos
Em ondas
Tocam as margens
Da minha pedra bruta.

Estou só
Na fome dos meus instintos,
No verso do sentido lúdico
No inverso do sentimento lúcido
.



Direitos Reservados - Lei 9.610 de 19/02/1998
Ronaldo Honorio
Enviado por Ronaldo Honorio em 15/11/2012
Alterado em 23/11/2018
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários